Seguir por Email

28 de mai de 2014

Estava devendo a todos vocês notícias sobre nossa pequena Valentina e, mesmo atrasada, aí vai!

Fiquei em repouso nos últimos dois meses de gestação, por ter algumas ameaças de entrar em trabalho de parto antes da hora. Como toda a minha família e os meus sogros moram no interior de São Paulo, em Pindamonhangaba, eu e meu marido decidimos que seria melhor fazer o parto lá, pra ficarmos mais perto de todos, além de termos mais ajuda nos primeiros dias.
Então, faltando ainda um mês para a tão esperada hora, juntei as malas e tudo que acreditava que seria importante levar e praticamente nos mudamos pra casa da minha mãe. Chegamos numa sexta-feira, tiramos algumas fotos da barriga no sábado e na segunda tive as primeiras dores. Cheguei a ir ao pronto atendimento, mas voltei pra casa depois de ser medicada.
Dois dias depois, não teve jeito. Enquanto saboreava um delicioso jantar e era paparicada pelas minhas tias e minha avó, as dores voltaram e as contrações chegaram com tudo!!! Estava convicta de que conseguiria ter um parto normal, mas chegando na maternidade, não passava de um dedo de dilatação e as dores não melhoravam nem com medicação. A obstetra plantonista resolveu me internar pra fazer alguns exames, e no dia seguinte, a ultrassonografia deu a direção para uma cesariana, pois estava sem líquido na bolsa.
A princesa Valentina chegou no dia 03 de abril, às 17h45, algumas semanas antes da hora, mas com muita saúde e tranquilidade. O papai estava trabalhando em São Paulo e não conseguiu chegar a tempo de acompanhar o parto, mas os avós babões conseguiram registrar tudo!
Foi um dos momentos mais emocionante da minha vida! Mas confesso que até vê-la pertinho de mim, e conferir se ela era perfeita, tive aquele medo de que algo acontecesse ou que ela tivesse nascido com algum problema não diagnosticado durante a gravidez.
Graças a Deus não passou de medo. Nossa pequena chegou chorando forte, brava, com 48cm e pesando 2.980 kg de muito charme e beleza!
Conseguimos ficar apenas 15 dias na casa da vovó, pois a vontade de ir pra nossa casa e ficar pertinho do papai falou mais alto. E tem sido maravilhoso! Estamos aprendendo a cada dia, ainda entrando no rítmo, nos adaptando a esse novo formato de família e, claro, babando muuuuuito!!! Ela fez despertar o instinto materno que nasceu em mim com a Duda e que estava esperando esse momento acontecer novamente.
Nem preciso dizer que o dia das mães este ano foi muito especial ne?
Agora quero ser cada dia uma mulher melhor para ser uma mãe melhor.